InícioInício  RecliforumRecliforum  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Relato giro Patagônico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
ZÖHRER

avatar

Mensagens : 391
Data de inscrição : 23/05/2009
Idade : 49
Localização : Rio de Janeiro

MensagemAssunto: Relato giro Patagônico   Qua Mar 30, 2011 8:13 am

Texto tirado do Grupo Zöhrer no Yahoo
Escrito por Daniel Andrade reclineiro a mais de 10anos
Texto longo
Video da viagem:
http://www.youtube.com/watch?v=0mjjAC3Sxlc

Amigos cicloturistas,

Aterrizamos no início do mês de março em nossa casa depois de passar
maravilhosos 39 dias em terras argentinas.Não estávamos com saudades de
casa e a vontade era de estender nossa estada por lá para conhecer
outras paisagens de províncias mais ao norte. Pedalamos de Bariloche até
Esquel (Bariloche/ Va. Traful/ Va. Angostura/ Bariloche/ El Bolson/
Epuyén/ Cholila/ Lago Rivadavia/ Esquel) passando por 3 províncias
(Neuquen/ Rio Negro/ Chubut) em um pouco mais de 700km pedalados e 1500
fotos que registraram as belas paisagens da cordilheira dos Andes, rios
de águas cristalinas, animais da região, os passeios realizados e alguns
amigos cicloturistas que fizemos no caminho.

A Argentina é sem dúvida um destino de incomparável beleza e de muitos
contrastes que deve ser pedalado por todo o cicloturista. O câmbio nos
favoreceu pois a grande maioria dos produtos de alimentação e os
passeios contratados, encontram-se hoje por quase metade do preço. Uma
vez lá aproveitamos para conhecer bem a região. Contratamos passeios
onde o acesso de bike fosse muito longe ou impraticável (barco e 4X4).
Valeu a pena esse investimento para conhecer lugares como o Cerro
Tronador e o Lago Mascardi, atrações próximas de Bariloche, que
apresenta uma natureza completamente diferente da que vemos aqui no
Brasil, ou mesmo o Túnel de Gelo, visitado dentro do Parque Nacional Los
Alerces, onde tivemos a incrível experiência de tocar no gelo e ter a
sensação de estar em um imenso freezer descongelando. Costumamos dizer
que o Brasil não tem montanhas mas morros, montanhas mesmo são as
imponentes que vimos nessa região da patagônia que fazem parte da
cordilheira. Ver toda aquela natureza tão singular era como sentir-se na
Europa e como tem europeus visitando essa região. Cruzamos com muitos
cicloturistas de diversas partes do mundo e alguns da Argentina e do
Chile. Apesar da falta de acostamento nas estradas fomos respeitados
pelos motoristas de carros, ônibus e caminhões que passavam longe das
bicicletas e as vezes nos acenavam. Um trânsito um pouco mais
civilizado, ao menos nas estradas.

Pedalamos pelas famosas estradas de rípio e tinha para os todos os
gostos desde estrada de chão com poucas pedrinhas até a pior delas que
chamamos de "rípio revuelto", que são as estradas de rípio que estão
sendo preparadas para serem asfaltadas. Em nenhum momento dá para
acelerar pois na subida não dá para correr e na descida tem que
freiar... Importante lembrar que no rípio vale a pena reduzir a
calibragem dos pneus que evita quicar muito nesse tipo de terreno. Além
disso, não dá para falar em patagônia sem mencionar sobre o famoso vento
que sopra por lá. Chegamos a percorrer uns 2km com vento a favor sem
pedalar a 50 km/h mas na curva...boom!!! vento contra constante e que
nos golpeava para a ruta, tornando o pedal tenso e cansativo.

Dentre tudo o que vimos, sentimos falta de ver mamíferos de grande porte
típicos da região, como o huemul (veado) e puma. Essas aparições são
raras mesmo nas zonas protegidas de parques nacionais. Em compensação
conhecemos algumas aves diferentes das que vemos por aqui, assim como
algumas frutas silvestres e plantas e árvores nativas. É divertido estar
em um local e não reconhecer a maioria das espécies vegetais observadas.
É um mundo completamente novo e cheio de coisas para se aprender.
Experimentamos um frutinho silvestre chamado maqui que parece com o açaí
em menor proporção e mais doce, mas que deixa a boca roxa da mesma
forma. Comemos também um fruto branco que dá em pequenos arbustos
próximos ao chão que são considerados como caramelos pelos huemuls, uma
espécie de veado típico da região. Além desses frutos, ficamos surpresos
em saber que as pessoas na Argentina não tem o hábito de comer frutas.
Mesmo nas províncias mais ao norte, próximas de Buenos Aires, que
possuem grandes plantações de pêssego e ameixas o consumo desses frutos
não é feito, nem mesmo em forma de suco, a não ser industrializado e com
muito açúcar. E falando em açúcar e farinha branca, esses são os
ingredientes mais utilizado na culinária deste país. Foram muitos cafés
da manhã servidos com "media luna" ,um pão parecido com "croissant", e
almoços sempre acompanhados de uma cesta de pão. O café e o chocolate
são matérias primas brasileiras, mas nem por isso, saborosas.
Descobrimos que o café além de caro é uma mistura de grãos brasileiros
adaptados para o paladar argentino e sem exceção todo café expresso é
servido com um copo de água. Dentro do tema bebida, a Argentina é um
paraíso para os cervejeiros. Se pedir uma "cerveza" no restaurante,
prepare-se para tomar 1 litro ou 1,5 lt. dela. Engraçado ver que as
medidas impressas nas embalagens líquidas são em geral descritas como
cm3 e não em ml como aqui. Parece que eles adoram fazer contas pois para
a maioria das coisas eles não davam a informação exata e exigia fazer
cálculos. Por exemplo, se fosse perguntar que horas são (21:45) diziam
10 menos 15 e assim vai. As medidas para beber vinho eram variadas,
tinha de ¼ , ¾,... o que era aquilo afinal? Por que não simplificar com
uma taça cheia ou ½ litro, muito mais fácil!!!

Em Buenos Aires ficamos encantados com a arquitetura da cidade. O jeito
porteño de tomar café na rua é uma cópia dos bistrôs parisienses e
lembram em muitas outras coisas a França. Embora a Argentina possua
diversos estilos musicais que abrange desde as músicas folclóricas de
cada província até o pop e rock argentino a música que mais nos agradou
aos ouvidos foi sem dúvida o tango que encarna a identidade do porteño.
Acredito que seja o estilo musical que melhor descreve esse povo que
além da música aprecia há tempos outras formas de arte e não existe um
teatro na América do Sul que melhor expresse esse gosto como o grandioso
Teatro Colon que recentemente passou por uma reforma monumental e ainda
em andamento em seus subterrâneos de 3 andares que se estendem abaixo da
"Avenida mas ancha del mundo" a 9 de Julio. Quem mora em Buenos Aires
tem inúmeras opções culturais a disposição como os inúmeros teatros e
livrarias dentre elas a mais famosa "El Ateneo".

Como não sentir vontade de continuar a explorar esse incrível país em
bicicleta? E de uma forma um tanto inusitada fizemos dois tours de
bicicleta guiados em Buenos Aires. Pedalamos e conhecemos os famosos
monumentos e prédios governamentais, aproveitamos o sol da manhã na
costanera sur, conhecemos o bairro de San Telmo, do Boca, do Caminito e
pedalamos pelo bairro de San Isidro de casas maravilhosas até chegarmos
ao delta do tigre e embarcar em um passeio de caiaque. O inusitado deste
recorrido foi pedalar em bikes de bambu, muito confortáveis para
conhecer a capital deste país.

As fotos irão ajudá-los a visualizar um pouquinho de cada coisa que
vivenciamos e que para nós foram momentos muito preciosos. Esperamos que
curtam tanto como nós curtimos ao editar esse material.

Grandes abraços dos amigos,

Daniel Andrade & Inglid Santana


http://www.facebook.com/album.php?aid=300252&id=699424710&l=a4e4137e79

http://www.facebook.com/album.php?aid=300295&id=699424710&l=1e0984b771



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://zohrer.com.br
xamã

avatar

Mensagens : 176
Data de inscrição : 04/03/2011
Idade : 52
Localização : Pantanal MS

MensagemAssunto: Re: Relato giro Patagônico   Qua Mar 30, 2011 1:30 pm

hola,
interessantíssimo o "giro patagônico"!! Cool
valeu por compartilhar, Pedro...seria interessante ele postar por aqui as impressões sobre a reclinada na bela aventura realizada.
as imagens só me motivam mais a planejar o primeiro tur por aquela região!
abraços
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
delviolino



Mensagens : 1
Data de inscrição : 29/07/2009

MensagemAssunto: Re: Relato giro Patagônico   Sex Jun 17, 2011 11:32 pm

Olá pessoal ,ca´estou no recicloforum.Um abraço a todos.Daniel Andrade
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
ninocoutinho

avatar

Mensagens : 1226
Data de inscrição : 20/09/2010
Localização : Itabira - MG

MensagemAssunto: Re: Relato giro Patagônico   Seg Jun 20, 2011 8:11 am

delviolino escreveu:
Olá pessoal ,ca´estou no recicloforum.Um abraço a todos.Daniel Andrade
Daniel, seja bem-vindíssimo! cheers É um privilégio para nós que compartilhe suas experiências aqui conosco, também.

Abraço!


Nino
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Relato giro Patagônico   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Relato giro Patagônico
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Cavaleiro teutônico século xiii- pegaso miniatures
» Inside PR-VAC - Único 767-200 da VRG
» Mecânico "experiente" em Jeep na margem sul ou area de Lisboa
» Metamorfismo orgânico
» Fonocinese

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Cicloturismo-
Ir para: